1º Simulado OAB para 1ª Fase do Exame de Ordem

1º Simulado OAB para 1ª Fase do Exame de Ordem
Seja bem-vindo ao 1º Simulado OAB para 1ª Fase XXVII Exame de Ordem, totalmente gratuito e feito com questões selecionadas a dedo pela nossa equipe para que você tenha a melhor experiência de preparação possível.
 
O simulado OAB para 1ª Fase é uma oportunidade única, é a chance que o examinando tem de verificar os seus pontos fortes e fracos com antecedência, a tempo de buscar aprimoramento. Assim, ficando muito mais preparado para a prova.
 
Acredite você ou não, há quem tenha medo do simulado para 1ª fase, que não vale nada além do aprendizado. Agora imagine o quanto esta pessoa teme a prova real?
 
Por isso, este é o momento de errar e superar esta ansiedade, que com certeza atrapalhará no dia da prova real. Quem deseja ser aprovado no certame, precisa fazer simulados OAB.
 

Questões Comentadas da OAB – Benefícios desta Técnica de Estudos

 
Dessa forma, convidamos a todos para separarem um dia e algumas horas para fazer este exercício que só tem benefícios para sua preparação para o Exame de Ordem. O preço é a sua vontade de passar.
 

Regras do Simulado OAB para 1ª Fase

Evidentemente que para que o Simulado para 1ª Fase surta os seus efeitos positivos, ele deve ser feito obedecendo as mesmas regras do dia da prova, sendo realizado o mais próximo possível da situação real.
 
1º – Material: Caneta Azul ou Preta, transparente;
2º – Tempo de Prova: Total de 05 (cinco) horas, incluindo o preenchimento do gabarito em folha separada;
3º – Banheiro: Pode ir ao banheiro, sem parar o cronômetro;
4º – Aparelhos Eletrônicos: Mantenha o celular e quaisquer outros dispositivos eletrônicos desligados ou longe do seu alcance durante a realização do simulado;
5º – Alimentação: O mesmo que para o dia da prova, não vale pegar na geladeira ou algo do tipo, mantenha junto a você.

Orientações gerais para um bom Simulado OAB para 1ª Fase

1º – IMPRIMA o simulado – isso é muito importante;
2º – Faça o Simulado para 1ª Fase em um ambiente silencioso e livre de distrações;
3º – Utilize mesa e cadeira para fazer a prova, evitando superfícies adversas;
4º – Comunique os seus familiares e outras pessoas que possam lhe solicitar que durante o período do simulado você estará indisponível;
5º – Tente realizar o simulado em horário próximo ao real, ou seja, entre 13h e 18h.
 
Este será o seu ritual da aprovação. Fazendo tudo isso, você estará realmente tirando o melhor que o Simulado OAB para 1ª Fase pode oferecer.

Desejamos a todos um bom simulado!
 
Preencha a inscrição através do link abaixo e obtenha acesso imediato.
 
 

 
 

Combo de Apostilas para OAB

Ter um material base para nortear seus estudos é essencial para um bom desempenho na Exame da OAB e você não tem tempo a perder, utilize sempre materiais de qualidade e ATUALIZADOS!

Saiba mais sobre o Combo de Apostilas

 

Questões Comentadas do 1º Simulado OAB para 1ª Fase do XXVII Exame de Ordem

Para algumas das questões do simulado nós disponibilizamos comentários, extraídos diretamente do nosso acervo. Eles estão nesta publicação, logo abaixo.
 

Gabarito do 1º Simulado OAB do XXVII Exame de Ordem: O GABARITO ESTÁ DISPOSTO NA ÚLTIMA PÁGINA DO PDF DO SIMULADO.

 
 
Os comentários estão um pouco mais abaixo…
Leia apenas após a conclusão do simulado.
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Comentários das Questões deste Simulado

 
Questão 61. (Direito Penal)
A) ERRADA – O desabamento não foi doloso, pois José não tinha a intenção de derrubar o prédio (vide art. 256, parágrafo único, do Código Penal). O mestre de obras também não pode ser responsabilizado por homicídio doloso (art. 121, do Código Penal), pois não pretendia matar ninguém.
 
B) ERRADA – Não se trata de desabamento doloso, visto que não havia dolo (intenção) de derrubar o edifício (vide art. 256, parágrafo único, do CP). No caso narrado, não se pode falar de homicídio culposo, visto que, diante do resultado morte em delito de desabamento culposo, trata-se de forma qualificada de crime de perigo comum (vide art. 258 do CP).
 
C) CORRETA – Esta alternativa é a correta, pois o desabamento ocorreu na modalidade culposa (vide art. 256, parágrafo único, do CP) e em sua forma qualificada, pois houve um crime de perigo comum culposo com resultado morte. Assim sendo, a redação da parte final do art. 258 do CP dispõe que, no caso de culpa em crime de perigo comum, se houver morte, aplica-se a pena cominada ao homicídio culposo, aumentada de um terço.
 
D) ERRADA – Conforme explicado nas alternativas anteriores, José cometeu o delito de desabamento na modalidade culposa (art. 256, parágrafo único, do CP), mas por se tratar de forma qualificada de um crime de perigo, por ter havido culpa e um resultado morte, aplica-se o disposto na parte final do art. 258 do CP: “(…) No caso de culpa, se do fato resulta lesão corporal, a pena aumenta-se de metade; se resulta morte, aplica-se a pena cominada ao homicídio culposo, aumentada de um terço”.
 
 
Questão 62. (Direito Penal)
A) CORRETA – O agente, em que pese tenha ocasionado a instauração de inquérito policial em desfavor de alguém cuja inocência acabou demonstrada, não há pratica do crime de denunciação caluniosa, com previsão no art. 339 do Código Penal. Ocorre que o delito de denunciação caluniosa exige que o agente impute falsamente o crime à alguém, sabendo que a pessoa é inocente, ou seja, pratique a conduta para prejudicar a pessoa, tendo conhecimento que ela não praticou o delito. No caso, o patrão apenas se equivocou, de maneira que não teve a intenção de prejudicar o empregado.
 
B) ERRADA – Conforme preceitua o artigo 339 do CP, o delito de Denunciação Caluniosa é praticado quando alguém dar causa à instauração de investigação policial, de processo judicial, instauração de investigação administrativa, inquérito civil ou ação de improbidade administrativa contra alguém, imputando-lhe crime de que o sabe inocente.
 
C) ERRADA – Conforme entendimento exarado na decisão APR 66030002548 TJ/ES, não há que se falar em denunciação caluniosa culposa, por ausência de previsão legal.
 
D) ERRADA – Incabível falar em calúnia, eis que também não há previsão na forma culposa [ROSA MOREIRA, LEIONARDO SÉRGIO CESAR LOPES – Dos crimes contra a honra: da calúnia, difamação e injúria – Consultado em 08/06/2016] – APR 66030002548 TJ/ES.
 
 
Gostou dos Comentários?
Tenha acesso a todos os comentários deste simulado em nosso portal!
 
Conheça nosso sistema de simulados online, com acompanhamento estatístico de desempenho e comentários de todas as alternativas de cada questão da prova.
 

 
 
 

Sistema de Provas Online

Conquiste sua Aprovação na 1ª Fase da OAB estudando através de Questões Comentadas! A melhor técnica de estudo é a prática na resolução de questões de edições anteriores.

Saiba mais sobre esta técnica de estudo

 
 
 
 

Deixe seu Comentário