Absolutamente TUDO para sua Aprovação na OAB

Blog do Curso Prova da Ordem

Avatar Prova da Ordem

por

Site especializado em aprovar Bacharéis em Direito no Exame de Ordem. Conquiste sua aprovação na OAB!

Depoimentos e Provas de Aprovados na 2ª da OAB

Hoje iremos trazer uma matéria muito especial! Escolhemos alguns examinandos aprovados nas últimas edições do Exame da OAB com notas superiores a 9 (prova de 2ª fase) para dar seu depoimento e divulgar a correção de suas provas. O único objetivo dos entrevistados é ajudar demais examinandos para a prova de 2ª Fase!! As entrevistas foram conduzidas pela Cristiane Cota, editora das FanPages Central de Dicas para OAB e Direito em Conquista. Atualmente a Cris vem se dedicando a um projeto muito interessante, que visa ajudar outros examinandos a conquistarem sua aprovação através de seu Grupo de Estudos criado no Facebook para troca de experiências, materiais de estudo e dicas de prova.

Infelizmente, não conseguimos examinandos aprovados na OAB com nota superior a 9 em todas as matérias, mas ainda estamos recebendo depoimentos e provas através do seguinte e-mail: atendimento@provadaordem.com.br

Se você gostaria de ajudar de alguma forma os examinandos que ainda não conseguiram sua aprovação, esta é uma bela oportunidade!!! E não se esqueça de mandar sua prova depois que passar no Exame da OAB, de forma que possamos ampliar ainda mais nossa contribuição à aprovação dos examinandos que irão participar das próximas edições do Exame de Ordem!!!

 

 

Direito Civil

 

1º Entrevista: Douglas Antônio Nunes de Souza – Aprovado no XIII Exame OAB

 

Douglas Antônio Nunes - aprovado no XIII Exame de Ordem - Direito Civil

Olá a todos!
Fui convidado pela minha amiga Cristiane Cota em contar um pouco sobre a minha aprovação no XIII Exame de Ordem.

Primeiramente, venho falar que prestei os exames XI onde obtive 37 pontos, o XII com a mesma pontuação e o XII onde obtive 42 pontos, necessários para ir para a segunda fase. Nas duas primeiras etapas, por conta da faculdade, não foi possível a aprovação, e a prova em si não é bicho de 7 cabeças que todo mundo descreve, basta estudar.  Assim, vamos para a segunda fase do XIII Exame.

Acho essencial que todos que forem prestar a segunda fase procurem cursinhos para se prepararem, para pegar as dicas e tirar os vícios que muitos aprendem na prática. Optei na segunda fase para CIVIL, onde fiz cursinho preparatório no Damásio (indico muito, não estou ganhando um centavo), onde os professores pelo menos da área que fiz, são bem preparados.

Assim, estudei e não foi tão exaustivamente, mas prestando atenção nas aulas e dicas. Marcação de código, nem preciso falar,é necessário. No dia da prova, bate uma ansiedade e não se preocupem, é normal, entretanto não se deixem abater, pois vocês estudaram e são capazes de estudar.

No término da prova, na saída, nos perguntamos qual seria o nome da peça e cada um com um nome diferente, pensei comigo “puts, zerei a prova, mesmo sabendo que fui bem nas questões”.
Mas beleza, saiu o gabarito oficial, dizendo que era “OBRIGAÇÂO DE FAZER”, falei puts e agora, coloquei “Responsabilidade do Fornecedor pelo vício do produto”, muito preocupado, mas não fiquei correndo muito atrás das respostas.

Chegando no dia do resultado preliminar, lembro que fiquei o dia inteiro apertando F5, entretanto,o resultando foi sair somente as 18:00 hrs, nem preciso dizer a angústia. Mas para minha surpresa, consegui fechar a peça e perdi somente 0, 25 nas questões, ou seja, superei meus limites.

Assim galera, para a aprovação, só depende de vocês, não é tudo isso que pintam, basta tão somente o estudo sério de cada um e confiar em si mesmo que dará certo.

Grande Abraço,

Douglas Antônio

 

Prova de Douglas Nunes – XIII Exame OAB – Direito Civil – Nota 9,75

 

[adrotate group=”6″]

2º Entrevista: Rodrigo Giffoni – FACISA Univiçosa – Aprovado no XIII Exame OAB

 

Rodrigo Giffoni - aprovado no XIII Exame de Ordem - Direito Civil

Quando eu comecei a estudar para a prova da OAB, a primeira coisa que eu fiz foi encarar a data do exame e procurar saber mais informações sobre o edital e etc… Detalhe, fiz isso com 9 meses de antecedência! No início, fiquei maluco com tanta coisa para estudar. Como isso seria possível?

Passado essa percepção inicial, encarei a prova sob uma perspectiva mais racional. Eu precisava de uma organização que me desse um resultado favorável. Em 9 meses eu teria cerca 270 dias para estudar, ou seja, aproximadamente 6480 horas disponíveis. Bom… Pode parecer loucura, mas boa parte desse tempo eu estava na faculdade ou no estágio e então eu precisaria me organizar melhor e adotar um planejamento. E não falo de um planejamento exclusivamente de estudo, mas da minha própria vida mesmo, para poder ter o foco necessário no Exame da OAB.

A partir dessas decisões, passei a mensurar o tempo eu ficava na faculdade, no estágio e o tempo para realizar minhas necessidades básicas (comer, dormir,tomar banho, viver…) para conseguir responder meu principal questionamento: afinal qual é o meu tempo disponível?

A maior parte das pessoas vive dizendo que não tem tempo. Eu acredito que se elas usassem esse tempo para ver o que pode ser feito, tudo seria mais fácil. Em conhecimento do meu tempo disponível para estudo, organizei minha rotina diária e encarei o exame de frente. Eu sabia que para ser aprovado eu precisava de 40 acertos na 1ª fase e de nota 6  na 2ª etapa.

Minha estratégia para atingir este objetivo foi muito simples.. Resolvia 10 questões fechadas (1ª fase) todos os dias. Muitos devem se perguntar:  “Só 10?”. Faça você as contas… Comecei a adotar essa estratégia quando faltavam uns 250 dias para a prova… 10 x 250 = 2.500 questões resolvidas! Com esse exercício diário já resolvi metade do conteúdo da maior parte dos livros de questões comentadas da 1ª fase.

Quando foi chegando mais perto (uns 100 dias para a prova),passei a resolver 25 questões por dia e nos 2 meses que antecederam a prova de 1ª fase reservei exclusivamente para resolução de simulados online.  Eu tinha como meta acertar apenas as 40 questões necessárias para a aprovação e encarei com maturidade esse desafio.

Passada a primeira etapa, vieram as dúvidas da 2ª fase. Qual disciplina escolher? Eu sempre fui apaixonado por Civil desde as primeiras lições e minha escolha foi baseada em minha aptidão. A partir de então foi manter o foco, persistência e determinação. Lembro-me de ter utilizado uma fórmula em meus estudos – PODC (planejar, organizar,desenvolver e controlar) e de sempre ter assumido metas que não eram tão fáceis de serem alcançadas, nem tão difíceis a ponto de se tornarem impossíveis.

 

Prova de Rodrigo Giffoni – XIII Exame OAB – Direito Civil – Nota 9,05

3ª Entrevista: Ynnanjaia Cauana Rek – UNOESC  – Aprovada no XIII Exame OAB

Ynnanjaia Cauana Rek - aprovada no XIII Exame de Ordem - Direito Civil

Obtive minha aprovação na OAB no XIII Exame de Ordem após muito estudo, nervosismo e insegurança. 
Minha rotina de estudos se deu durante mais o menos seis meses (período este em que aguardava minha formatura que ocorreu no dia 26/04/2014), sendo que estudava na parte da tarde das 13h00min as 18h00min e retomava os estudos as 22h00min até madrugada, regada a muito café e chocolate.
Assim, dividia o tempo entre ler o Código Civil e de Processo Civil e fazer simulados, o que fazia geralmente na parte da tarde e assistir vídeo-aulas, quase sempre de madrugada, além de acompanhar o grupo da Cristiane Cota no Fecebook para conseguir estimulo, pois depois de certo tempo o cansaço fala mais auto e a vontade de estudar vai se esvaindo.
Contudo mantive o foco e após obter a aprovação para a segunda fase do Exame, comprei um caderno de 10 matérias, lápis de cor, marca texto e postites e literalmente pintei meu Código e escrevi em praticamente todo o caderno! Treinei inúmeras peças até quase a exaustão.
Foquei principalmente na estrutura das peças e suas situações peculiares, pois sabia que se não treinasse e focasse nesses pontos na hora do nervosismo não iria lembrar de detalhes.
Deste modo, consegui fazer a prova com segurança, pois sabia que havia dado o melhor de mim, mas fiquei surpresa com minha nota, pois por mais que a gente estude tirar acima de 9 é uma alegria e surpresa imensa.
Creio que algo que me ajudou muito a obter essa nota foi não pensar na segunda fase apenas após ser aprovada na primeira, estudei muito o direito civil já na primeira fase, foquei nessa matéria, pois sabia que aproveitaria nas duas fases, já que havia escolhido ela para a próxima etapa.

 

Prova de Ynnanjaia Cauana – XIII Exame OAB – Direito Civil – Nota 9,05

 

[adrotate group=”6″]

 

Direito Constitucional

 

4ª Entrevista: Juliana Pereira – Aprovada no XIII Exame OAB

Bom Cris, eu não tive bem uma rotina de estudos.
Meu nome é Juliana, estudei na universidade Potiguar – UNP, e colei grau em fevereiro de 2014 quando tive que sair do meu estágio lá no Ministério Público, nessa epóca eu estava com 6 meses de gravidez, então baixei todo material la da página e fui estudar, antes porém ia pro trabalho de onibus e pegava as video aulas e ia ouvindo no ipod, isso me ajudou muito durante todo meu curso.
Após a minha colação de grau em 11.02.2014 iniciei os estudos, duas horas por dia, não mais pois realmente estava cansada e ainda tinha casa, marido e cachorros pra cuidar. Na reta final da primeira fase vi que não tinha estudado muita coisa, e toda revisão que você postava la no grupo eu fazia, TODAS.
No dia da prova acordei cedo e li e reli ética umas 4/5 vezes, também estudei menos as matérias que estudei mais durante a graduação como civil, penal,administrativo e constitucional. tentei estudar mais trabalho, processo civil entre outras.
Passei na primeira fase com 42 questões e já estava terminando meu 8º mês de gestação, foi quando busquei forças pra estudar pra 2ª fase, confesso que quase desisti, pois o cansaço era imenso.
Bom, como constitucional é uma matéria que eu sou apaixonada, como sabia bastante a parte material, e nos meus estágios durante o curso eu aprendi muito a parte processual foi bem mais fácil. entrei no grupo de alunos da Professora Flávia Bahia e participei de todas as revisões que ela fez, (eu colava o que ela postava e ia fazendo colando em um word pra depois eu poder revisar, ajuda mto), também assisti as aulas gratuitas que tem da mesma na internet e li alguns capítulos do livro de pratica constitucional do professor Erival Oliveira (ele tem uma página no face e la ele posta o que devemos estudar, quais as páginas a ler e tal) esse emprestado de uma colega Karla Aranha, nem Vade Mecum eu comprei, peguei emprestado o da minha amiga Cristiane que tinha feito também constitucional no exame passado e tava com o Vade da LFG (excelente pra que vai fazer constitucional) todo marcado.Fiz algumas peças, mais os recursos que são mais complicados e os remédios, e não veio nada disso, veio foi uma ADIN, na hora pensei “sei identificar a peça, mas e a estrutura dela?” lembrei que era uma petição inicial, 282 cpc, e da parte material, pertinencia temática, pq era uma adin e não uma adpf, enfim,tentei manter a calma e deu tudo certo, saí com a convicção que na minha condição dei o meu melhor.
Em resumo, estudei muito pouco mesmo pra essa prova, pois as minhas condições eram as piores. Bom, saí do hospital praticamente pra fazer na prova, minha filha nasceu dia 19/05 e dia 02/06 estava eu fazendo a prova, amamentando e após uma cesária, foi muito difícil, mas quando eu li a prova eu vi que sabia todas as questões da prova, inclusive a peça.
Assim, o certo é escolher matéria que nos identificamos mais durante o curso e não as que consideramos mais fáceis. 
Bom, é isso, realmente não segui um programa muito organizado de estudos, mas todos os dias até o dia 15/05 eu lia, via video aulas por pelo menos uma horinha por dia.

 

Prova de Juliana Pereira – XIII Exame OAB – Constitucional – Nota 9,10

 

[adrotate group=”6″]

 

Direito Penal

 

Cristiane Cota - Central dicas para OAB

 

Entrevistadora desta Matéria

Cristiane L. Cota  – Aprovada no XIII Exame OAB

Currículo Lattes

Link entrevista da Cris em 31/07

 

Prova de Cristiane Cota – XIII Exame OAB – Direito Penal – Nota 9,45

5ª Entrevista: Leandro de Carvalho Lisboa – Aprovado no XIII Exame OAB

 

Leandro de Carvalho Lisboa - aprovado no XIII Exame de Ordem - Direito Penal

O exame da OAB é uma das maiores preocupações que qualquer estudante do curso de Direito carrega. Desde o momento que ingressamos na faculdade já escutamos assuntos relativos a dificuldade que é ser aprovado pela OAB. Pois bem, por ser algo que muito almejava, resolvi prestar o exame ainda no 9º semestre, pois a ansiedade era grande. Pensei que não passaria e que serviria de experiência para as próximas provas. Na primeira fase saí desanimado, não tinha estudado e fui mal, tinha certeza que  não havia passado.

Voltei para a casa com o peito doendo e com a certeza que tinha ficado por ali mesmo. No mesmo dia à noite peguei a primeira correção. Uma grande surpresa!! Eu passei, e o peito que antes doía de tristeza começou a doer de alegria!! Comemorei muito e agradeci a Deus, fiquei feliz demais. Já no outro dia, a alegria deu lugar a preocupação de estudar para segunda fase, agora mais do que nunca eu precisaria estudar muito e me dedicar ao máximo. Juntou tudo, meu serviço tomando meu tempo como nunca, provas na faculdade e muito estudo para a segunda fase. Pensei que fosse ficar louco, quanto mais eu estudava, mais eu percebia que não sabia nada. Achei que não passaria e estava demasiadamente preocupado. Nos 3 últimos dias não fiz nada, faltei ao trabalho e estudei das 8:00 às 22:00. Esgotei os estudos passando por todos os pontos mas ainda não me sentia apto, porém já acreditava que eu  teria chances.

Na noite que antecedeu não dormi direito. No dia “D” acordei ansioso e fui fazer a prova, deu dor de barriga, dor na costa, dor de tudo, mas eu estava lá pronto para começar. Li a prova e bateu o desespero, veio duas teses em minha cabeça para defender, e uma era totalmente contrária a outra. Se fizesse a errada estaria reprovado. Pensei por 20 minutos sem escrever uma palavra. Pedi a Deus que me desse sabedoria e Ele mais uma vez atendeu minha petição, fui pelo caminho certo. Depois que comecei tudo correu bem, fiz a peça e depois as perguntas. Entreguei e me senti aliviado, tinha concluído.

A noite quando saiu a correção não oficial percebi que tinha escolhido a tese certa, familiares já queriam comemorar, mas eu não, queria ter certeza, ainda tinha dúvidas. Fiquei na expectativa até o grande dia do resultado. Chegou o dia e quando vi minha nota não acreditei! Eu passei, e passei bem, com 9, 9,pra mim inacreditável, alegria incontável! As vezes ainda pego minha prova para dar uma olhada, e todas as vezes transbordo em alegria!! A oab nos parece algo muito mais difícil que imaginamos, mas depois percebemos que não é!  Você que irá prestar, não se desespere,é o mesmo que uma prova na Faculdade. Boa sorte à todos!

Prova de Leandro de Carvalho – XIII Exame OAB – Direito Penal – Nota 9,90

 

 

6ª Entrevista: Fernanda Cardoso  – Aprovada no VIII Exame OAB

Fernanda Cardoso - aprovada no VII Exame de Ordem - Direito Penal

Olá Nobres colegas, meu nome é Fernanda Cardoso. Sou Advogada, mas,há dois anos estava na mesma situação de vocês: estudando para a prova da OAB. Quando fiz o VIII Exame de Ordem cursava o 9º Semestre da Universidade Católica do Salvador. Isso foi muito bom porque pude contar com a ajuda dos meus professores os quais entenderam a minha ansiedade e também porque a cobrança não era tanta, pois,como disse, era apenas uma estudante.

Recordo-me que todos da Faculdade, tanto professores quanto colegas de turma ficaram lisonjeados com a nota que tirei: 9, 25. Esta nota Nobres amigos, para mim, não traz qualquer vaidade possível. Traz apenas uma satisfação pessoal, pois,pude acreditar que, quando se quer algo de verdade, podemos tornar isso possível! Para tanto, basta ter foco e saber que, além de querer, imprescindível é saber buscar!  Esta nota nada mais foi do que o reflexo que tinha de passar no Exame de Ordem! E eu consegui!

Acredito que o grande sonho da maioria dos estudantes de Direito é ser aprovado na tão temerosa prova da OAB. Porém, esta tão “assustadora” prova não é de causar tanto medo assim! Passar no Exame de Ordem exige, não apenas horas e mais horas de estudo, mas também uma sequência de outros requisitos os quais irei dizer a vocês, meus futuros colegas de profissão:

1)      É muito importante que, no momento de fazer a sua inscrição, você escolha uma matéria a qual tenha muita afinidade e alguma experiência na área. No meu caso, eu escolhi Penal para a 2ª Fase do Exame, pois além de ser uma apaixonada pela matéria, tive a oportunidade de estagiar três anos com um Juiz Criminal. Lembro-me que muitas pessoas criticaram minha escolha, pois diziam que a matéria é muito extensa e muito complicada de passar. Minha dica é: não dê ouvidos a terceiros. Escolha a matéria que você tenha afinidade, ela será sua companheira durante um mês. Ela será a sua chave para o sucesso!

2)      Outro aspecto fundamental é escolher um preparatório para segunda fase. Digo isso porque, infelizmente,a maioria das Faculdades não ensinam todas as peças processuais que caem no Exame de Ordem. Então minha dica é: escolha um curso que você tenha alguma referência e que tenha índice de aprovação elevado. Na época eu fiz o Curso Cejus e gostei muito.

3)      É imprescindível também que o estudante saiba qual é o seu ponto fraco na matéria, ou seja, onde ele tem maior dificuldade. Eu por exemplo, notei que a minha fraqueza estava no direito material, então intensifiquei os estudos nessa parte, comprei o livro de Rogério Greco (parte geral) e estudei muito!

4)      Costumo dizer que duas cabeças pensam melhor do que uma! Seria interessante que vocês estudassem com algum colega. Além de um ajudar o outro na hora dos estudos ou quando surgir alguma dúvida, vocês irão compartilhar momentos de fraqueza, alegria,choros e insegurança. Não tem nada melhor do que, quando chegar o dia da aprovação, um abraçar o outro dizer: Conseguimos! Eu estudei com uma grande amiga, mais conhecida pelo apelido: Gui! Ela foi primordial para o meu sucesso!

5)      As horas de estudo por dia é algo muito vago! Você pode passar 8 horas estudando e ao final perceber que não assimilou absolutamente nada! Ou então, passar apenas 3 horas estudando e perceber que o estudo valeu a pena! Eu não me recordo quantas horas por dia eu estudava. Mas, lembro que estudava todos os dias, estudava muito, inclusive os finais de semana, e de uma forma bem disciplinada e sempre com o código ao lado.

6)      É importante demais saber utilizar seu tempo de uma forma “econômica”. Infelizmente o tempo é curto e a matéria é extensa. Não dá tempo de estudar tudo! Estabeleça um foco! Exemplo: eu contei os dias que faltavam para a prova e a quantidade de páginas que o livro tinha que estudar. Então, estabeleci um determinado número de páginas que teria que ler por dia até uma semana antes da prova. Deu certo! Basta ter foco e agir!

7)      Outro critério importante é treinar as possíveis peças que poderão cair na prova. Você precisa treinar muito para quando chegar no dia da prova ter a segurança que está fazendo certo. É bom também levar essas peças para o professor corrigir durante o curso. Ele com certeza irá orientá-lo quando algo tiver fora do padrão. Existem muitas peças as quais tem a mesma estrutura que as outras. Acaba não sendo tão complicado assim.

8)      Além disso,é mais do que especial que você conheça o seu código, pois ele será o elemento primordial para a sua aprovação! Acredite: a sua aprovação estará sobre as suas pernas! Aproveite que você terá um mês com ele e saiba como utilizá-lo.

9)      Outro aspecto fundamental é descobrir qual tipo de memória que você tem. Por exemplo: minha memória é visual. Então, fiz alguns cartazes com algumas dicas especiais e colei na parede do meu quarto. Todos os dias quando acordava eu via e ficava guardado na memória. No dia da prova, estava tudo na minha cabeça!

10)   Quando for marcar seu código, use diferentes cores. Eu sugiro lápis de cor, pois o marca texto acaba manchando o verso das folhas. Tente marcar com cada cor um tema específico. Por exemplo: tudo que se referia a peça “Resposta à Acusação”,eu pintei de verde cana, todos os elementos que excluíam a culpabilidade eu pintei de lilás e por aí vai. Se fizer assim, dificilmente errará na hora da prova.

11)   No momento que estiverem fazendo a peça processual sejam bem objetivos. Quando abrirem algum tópico, escrevam com letra maiúscula e coloquem o artigo ao lado. Só depois disso discorra sobre o tema, de forma clara e objetiva. Evitem usar palavras difíceis. O examinador não quer saber se você sabe ou não de fato. Ele apenas vai comparar sua prova com o espelho que lhe será dado. É o famoso chek list.

12)   Com relação às questões, sejam também objetivos! Se a resposta de uma questão for alguma Súmula, por exemplo, não tenha medo! Copie a Súmula na íntegra e não esqueça JAMAIS de colocar o numero da Súmula e de onde ela pertence. Feito isso, explique com suas palavras em poucas linhas.

13)   Também nunca se esqueçam de mencionar o artigo correto na sua prova. Por exemplo, o examinador me tirou 0, 25 pontos porque eu escrevi apenas “artigo 155”,quando na realidade o correto seria “artigo 155 “caput””.

14)   E para finalizar, uma dica muito especial: quando receber a prova, não a faça logo de imediato. Analise-a primeiro, olhe página por página, respire fundo e espere alguns minutos para iniciá-la. Digo isto porque no momento a adrenalina estará em alta, o coração bate forte e, em alguns casos, dá até frio na barriga e até vontade de chorar. A prova da OAB não é nenhum bicho de sete cabeças! Não acredite que esta prova é o seu maior obstáculo, pois ela não é! Este exame faz parte da sua vida sim, mas ele não é mais importante do que sua vida e do que a sua saúde física e mental. Esta prova será apenas o primeiro de muitos outros desafios que virão, não apenas para aqueles que enfrentarão concursos públicos, mas também aos que encararão a árdua Advocacia. Faça a prova com leveza e tranquilidade! Estude o máximo que puder e dê o seu melhor!

Existem alunos que estão fazendo o exame de Ordem pela primeira vez e alunos que já tentaram algumas vezes, mas ainda não passaram. Só não passa na OAB que desiste dela! Lembrem-se: o que nos separa ou nos aproxima de um grande objetivo é uma palavrinha chamada “disciplina”. Nós somos reflexo daquilo que pensamos, logo,pensamento positivo hoje e sempre! Tudo na vida é questão de tempo e ação, portanto sucesso, Nobres! A tão sonhada vermelhinha está por vir, eu tenho certeza disso!

Um beijo do tamanho dos seus sonhos!

Fernanda Cardoso

 

Prova de Fernanda Cardoso – VIII Exame OAB – Direito Penal – Nota 9,25

VIII Exame OAB - Questão Dissertativa - Direito Penal - 2
[adrotate group=”6″]

7ª Entrevista: Suiá Santana Figueiredo – Aprovada no XI Exame OAB

 

Curso preparatório para OAB: Centro de Estudos Jurídicos de Salvador (CEJUS),hoje com a nomenclatura Centro de Estudos José Aras (CEJAS).

Suiá Santana- aprovada no XI Exame de Ordem - Direito Penal

A preparação para o exame de ordem exige muita dedicação aos estudos, sendo imprescindível, também, o controle emocional. Para obter sucesso no exame de ordem,é necessário aprender a abdicar de inúmeros prazeres, a exemplo do happy hour às sextas feiras, das badalações costumeiras aos sábados, cineminha de domingo, etc.
Outra coisa importantíssima é a escolha da área jurídica para segunda fase: a melhor área sempre será aquela que o candidato mais tem afinidade, nunca a que terceiros dizem ter conteúdo menor ou que é mais fácil. Serão quase dois meses estudando intensamente aquela área, portanto é imprescindível uma certa paixão por aquilo. Na verdade, celebramos um relacionamento amoroso sério com aquela área.
Organizei a minha diária de estudos em metas. Separava uma determinada quantidade de assuntos para estudar num dia e só parava de estudar quando finalmente cumpria a minha meta. Se ainda houvesse tempo, melhor dizendo, se não estivesse mentalmente cansada, sempre dava uma “esticadinha” na meta. Poderia sempre extrapolar a minha meta, mas nunca estudava menos do que o planejado. Em média estudava de 6 a 8 horas durante a semana (de segunda a sexta feira, sem contabilizar as horas de aula no curso) e de 8 a 10 horas aos sábados ou domingos (escolhia sempre um desses dias para estudar menos e ter algum tempinho para o lazer) e feriados.
Para a primeira fase, não fiz cursinho, apenas escolhi um bom livro de doutrina para o exame de ordem e concursos e li algumas leis referentes à ética profissional. Nesta fase, sabia que não conseguiria estudar todas as disciplinas, então, além de ética, selecionei as matérias que mais tinha dificuldade, e por isso tinha um conhecimento menor, e as priorizei. Assisti, ainda,a várias revisões de véspera, o que me ajudou bastante.
Na segunda fase, como o Direito é dividido em parte material e processual e o exame de ordem exige muito de ambas, alternava os dias de estudos: num dia eu estudava a parte material e no outro a processual, incluindo a elaboração de peças. Como escolhi fazer a prova prático profissional de Direito Penal, ainda organizei um tempo para estudar a parte especial: todos os dias, mesmo nos dias que separados para estudar direito processual, estudava alguns crimes por um código penal comentado (me foi recomendado o de Rogério Greco, estudei por ele e amei!).
Tirar algumas horinhas para discutir o assunto com alguns colegas também foi muito útil. O debate me fez esclarecer dúvidas que eu achava serem inexistentes. Percebi coisas que estudando sozinha não tinha percebido. Aprendi a ver os detalhes. Aprendi que o maior inimigo da aprovação é o nosso lado emocional. Por isso, procurei me controlar ao máximo, tirar de mim o peso da obrigação de ser aprovada, afinal de contas, apesar de ser muito almejado, ninguém estava me pressionando ou cobrando a minha aprovação. É preciso muita serenidade para fazer a prova. É preciso saber administrar o tempo.
Por fim, ressalto a importância que o CEJUS (hoje CEJAS) teve durante a minha preparação. Os professores e monitores não passavam apenas o conteúdo e dicas importantes, eles transmitiam paz e confiança. Os funcionários do curso também nos passavam muita tranquilidade, e isso sempre foi de extrema importância, principalmente nos dias em que estávamos menos confiantes e achando que não sabíamos o suficiente para conquistar a aprovação.
Em síntese, o segredo para aprovação no exame de ordem é ESTUDAR muito! É ter disciplina,é saber lidar com as dificuldades,é ter foco,é ter metas e forças para cumpri-las,é desejar muito a aprovação,é escolher um bom cursinho preparatório e por último mas não menos importante,é saber controlar o emocional.

 

Prova de Suiá Santana – XI Exame OAB – Direito Penal – Nota 9,10

 

 

Direito do Trabalho

 

8ª Entrevista: Pâmela Gomes – Aprovada no XII Exame OAB

 

Curso preparatório para OAB: Cursinho com a Professora Kelly Amorim.

 

Pâmela Gmes - aprovada no XII Exame de Ordem - Direito do Trabalho

A prova da OAB é sempre uma parte um tanto quanto aterrorizante do curso de Direito. A pressão psicológica é muito maior do que a dificuldade da prova em si, e quando aliada à falta de preparo do estudante acaba causando a reprovação. Pensando nisso, decidi fazer a prova em um momento em que estivesse mais tranquila, tendo terminado todas as obrigações com a faculdade, como TCC e provas; pois só assim conseguiria me dedicar. Optei por Direito Trabalhista para a segunda fase, já que é muito importante que se tenha afinidade com a matéria para facilitar o estudo.

Passada a primeira fase, comecei a estudar para a segunda um mês antes, quando começou o cursinho preparatório. Escolhi fazer cursinho com a professora Kelly Amorim, que já havia me dado aula na faculdade, pois foi com ela que eu realmente aprendi Direito do Trabalho. O cursinho era quase particular, já que tinha vagas bem limitadas, então era possível se ir além das aulas, com muitos exercícios e, principalmente,um acompanhamento e feed back por parte da professora.

Procurei fazer vários exercícios e simulados dos mais diversos tipos de peças processuais, pois as provas da OAB tendem a repetir os assuntos das questões. Como na primeira fase eu me cansei bastante do meio da prova para o final, fiz um plano de estudar todos os dias simulando o tempo de prova. Então, ainda que só fizesse questões no dia e nenhuma peça, usava como base o tempo máximo de duração da prova. Aprendi, também, a usar a Legislação Trabalhista, procurando conhecer bem o Vade Mecum e a CLT organizada antes da prova. Dessa forma, depois de muitos exercícios feitos e tendo os erros corrigidos pela professora, senti confiança ao ir fazer a prova e correu tudo bem.

 

Prova Pâmela Gomes – XII Exame OAB – Direito do Trabalho – Nota 9,30

 

 

9ª Entrevista: Thiago Lemos Souza – Aprovado no XII Exame OAB

 

Facebook do Thiago

 

Thiago Lemos Souza - aprovado no XII Exame de Ordem - Direito do Trabalho

Minha rotina de estudos para a segunda fase se iniciou logo após a prova da primeira fase, antes disso eu não tive contato nenhum com material pertinente ao certame. Por ter realizado a prova ainda no 8º período, quando passei para a segunda fase precisei me matricular em todas as matérias de 9º e 10º período, pois o edital do concurso previa que para aproveitar o resultado do exame o aluno deveria ter data prevista de formação para 2014.1, logo meu tempo de estudo foi bem reduzido, tendo em vista que me matriculei em 13 disciplinas na faculdade. Para que eu tivesse a direção correta e o foco necessário para estudar o maior conteúdo possível em pouco mais de um mês me matriculei em um curso no centro do Rio de Janeiro com aulas aos sábados de 9:00 as 17:00h. Ainda assim, por ter um filho, que fica comigo de 15 em 15 dias, compareci a apenas 3 aulas, o que foi suficiente para o meu objetivo no curso, que era apenas ganhar um norte para os estudos.

A empresa que eu trabalho é uma corretora de seguros da minha família que eu administro, então a maior parte do período que estudei foi no trabalho. Durante a semana eu tirava 2 horas após o almoço para estudar o direito material e processual do trabalho, nos fins de semana que estava com meu filho eu exercitava as peças realizando exames anteriores e decorando modelos. Nos domingos, que não estava com meu filho, me dirigia à biblioteca do Centro Cultural Banco do Brasil e ficava de 13 as 17h. No centro cultural eu mesclava entre estudo do direito material e processual e questões discursivas dos principais temas.

Minha rotina de estudos nunca foi exatamente programada, poucas vezes eu tinha silêncio absoluto para estudar, mas o empenho e a força de vencer me impulsionaram e graças a Deus obtive êxito no exame.

A peça que caiu na minha prova foi a que eu mais estudei, Reclamação Trabalhista, com pedidos muito simplórios, gabaritei a peça e perdi alguns décimos apenas nas questões discursivas somando o total de pontos 9, 1. Fiquei muito feliz com o resultado e atestei que o Exame da OAB não é como muitos falam “aterrorizante”,é só estudar com dedicação que passa. Em humilde opinião julgo que o baixo índice no número de aprovados não se deve ao grau de dificuldade do exame e sim à falta de preparo dos candidatos que o realizam. O currículo das faculdades não é voltado para o Exame de Ordem, eles abordam os conteúdos de acordo com seus programas e do 1º ao 10º período pouquíssimas vezes você houve falar no exame. Este quadro mudaria se as faculdades mudassem seus perfis quanto ao assunto, pois as outras graduações não dependem de aprovação em um exame de classe para exercício de suas funções, um estudante de medicina por exemplo cursa sua faculdade, cumpre os requisitos e se forma médico, o operador do direito não, tem que ser aprovado no seu exame de classe, que julgo também de caráter minimamente necessário para que se forme um profissional razoável, para exercer sua profissão.

Concluindo, acho que desvendei a fórmula mágica para aprovação neste exame, estudar + estudar muito = Passar

 

Prova de Thiago Souza – XII Exame OAB – Direito do Trabalho – Nota 9,20

 

Gostaríamos de agradecer aos 8 entrevistados e à própria Cristiane Cota pelas entrevistas. Você estão de PARABÉNS. Tenham a certeza que vocês inspiraram muitos examinandos através dos depoimentos e auxiliaram seus estudos com a divulgação da prova e espelho de correção. Não temos dúvidas que vocês terão uma carreira ILUMINADA, não só pela EXCELENTE nota, mas também por atitudes como essa!

E depois dessa excelente matéria, que venha a 2ª Fase!!!!!

 

Receba com exclusividade nossas publicações sobre o Exame de Ordem

Preencha seu nome e e-mail para ficar por dentro de todas as novidades sobre a Prova da OAB.

Informe o seu nome.
Informe o seu e-mail.