Preparação para Exame da OAB e o Prazer em Aprender

Preparação para Exame da OAB e o Prazer em Aprender

A matéria de hoje traz uma abordagem diferenciada em relação à produção intelectual voltada para a preparação para Exame de Ordem. Na busca pela aprovação, muitos examinandos focam demasiadamente no resultado almejado, em detrimento à ampliação de seus conhecimentos, prática que tem se demonstrado ineficaz. Outro aspecto fundamental a ser reconhecido é que muitos examinandos apresentam resistência ao estudo de determinadas matérias, principalmente em se tratando da 1ª fase, onde se faz importante o estudos das 17 matérias que a compõe. Em face às dificuldades apresentadas, a presente matéria tem como objetivo dar ênfase ao prazer pela aprendizagem na preparação para o Exame de Ordem.

Ao longo dos anos que temos preparado jovens examinandos para Exame da OAB é notável a busca por atalhos na preparação para a prova e consequentemente o maior foco na aprovação ao invés do foco no processo. A compreensão sobre estes dois focos é fundamental para qualquer examinando, por apresentar valores totalmente antagônicos. O examinando focado na aprovação é aquele que se mobiliza exclusivamente pelo resultado almejado. Na maior parte das oportunidades, é dominado pela ansiedade, em algumas ocasiões até com certo desespero em relação à próxima prova. Como seu objetivo exclusivo é a aprovação, a cada oportunidade perdida a frustração é explícita e a achar culpados para seu insucesso passa a ser sua fonte de consolação.

Em contrapartida, o examinando com foco no processo é aquele centrado na ampliação de seus conhecimentos, encarando a aprovação no Exame de Ordem como uma consequência de seu crescimento intelectual. Esse examinando é menos suscetível a descontroles emocionais decorrentes de tentativas mal-sucedidas haja vista que, mesmo no fracasso, houve significativo progresso. Se faz angustiado não com a data da prova, mas possivelmente com os conteúdos que não conseguiu revisar em determinada semana. Está mais atento ao atendimento de seu roteiro de estudos do que com eventuais especulações sobre a próxima prova.

 


Através da análise dos dois quadros apresentados, é evidente a distinção do examinando preocupado com a aprovação, daquele focado no seu processo de aprendizagem.

 
 

Na presente matéria, sustentamos a tese que o Foco no Processo é significativamente melhor para sua preparação para o Exame da OAB e é justamente isso que defendemos junto aos examinandos que se preparam com a equipe do site Prova da Ordem. Há alguns meses atrás, nossa equipe redigiu um artigo sobre a importância da melhoria da qualidade de seus estudos, também fundamental para sua fase preparatória para esse difícil desafio. Também sugerimos a leitura do artigo Mitos e Verdades sobre o Exame da OAB.

Não poderíamos terminar esse artigo sem fazer uma alusão as restrições de estudo que muitas vezes criamos em nossas mentes. Pode-se sugerir a criação de “feudos intelectuais” que impossibilitam o estudo de qualquer assunto que fuja daqueles que consideramos prazerosos. Para que possamos consolidar o prazer em aprender, tema do presente artigo, temos que elucidar seu antônimo; e vai dizer que das 17 matérias da 1ª fase você não possui nenhum desafeto??

O ponto de partida na compreensão de sua resistência ao estudo de determinadas matérias deve ser a humildade em assumir que você provavelmente possui medo ou dificuldades em compreendê-las. E esses dois fatores geralmente são as razões de seu desprazer. Evidentemente, se a matéria que você tem restrições ao estudo for uma das mais relevantes para sua aprovação, seus problemas tornam-se ainda maiores.

No âmbito das ciências voltadas ao processo de aprendizagem, há um campo do conhecimento denominado matemática emocional, que tem como objetivo a análise dos fatores emocionais que influenciam as dificuldades de aprendizagem. Dentre os preceitos dessa abordagem, destaca-se a existência de uma íntima relação entre a falta do prazer em aprender, influenciada por fatores emocionais, com a dificuldade de aprendizagem. Nessa área do conhecimento, existem estudos científicos que indicam que essas limitações podem contar com repercussões até mesmo fisiológicas, causando, por exemplo, dores de cabeça e lapsos de falta de concentração durante os estudos.

Com intuito de atenuar e possivelmente superar as limitações decorrentes do desprazer em estudar determinada matéria, o primeiro passo seria melhorar o entendimento acerca de sua utilidade e benefícios para seu crescimento pessoal-profissional. Sem sombra de dúvidas, todas as 17 matérias da 1ª fase possuem grande utilidade na formação de uma visão holística da advocacia como um todo, algo fundamental para alcançar sucesso na profissão.

Os humanos são seres que possuem estruturas cognitivas voltadas à aprendizagem - Exame OAB

Outro importante atenuante consiste em uma simples atitude: sentir e vivenciar o prazer no processo de aprendizagem, independente do objeto de estudo. Os humanos são seres que possuem estruturas cognitivas voltadas à aprendizagem, utilizando destas como fatores essenciais para sua sobrevivência. Fazer do processo de aprendizagem algo prazeroso, é uma atitude muito útil para sua vida, pois, se você refletir um pouco sobre o assunto, concluirá que nossa existência consiste em um constante processo de aprendizado e evolução.

Esperamos com esse artigo poder contribuir para sua melhor preparação para o Exame de Ordem.

Que tenhamos despertado em você o prazer em aprender e que você tenha compreendido que o processo de preparação é ainda mais importante que o resultado de sua prova!

 
 

Confira os melhores Sites e Aplicativos de Estudos para Exame da OAB

Técnicas para resolver questões Objetivas – 1ª Fase OAB

 
 

Sistema de Provas Online

Conquiste sua Aprovação na 1ª Fase da OAB estudando através de Questões Comentadas! A melhor técnica de estudo é a prática na resolução de questões de edições anteriores.

Saiba mais sobre esta técnica de estudo

 
 

Deixe seu Comentário