Absolutamente TUDO para sua Aprovação na OAB

Blog do Curso Prova da Ordem

Avatar Lucas Avila

por

Advogado, especialista na Prova da OAB e técnicas de estudo. Atuou como Juiz Mediador do Tribunal de Mediação e Arbitragem do RS - Professor de Direito Civil e Processo Civil em cursos preparatórios para Concursos (Exattus - Uruguaiana/RS e Cursos Elite - Itajaí/SC) e criador de conteúdo para Estudantes de Direito há mais de 8 anos.

Cinco Atitudes para Superar a Reprovação na OAB

É, meu caro, sei como você se sente neste momento. O exame de ordem é sem sombra de dúvida a prova com a reprovação mais dolorosa que existe, e não há o que me convença do contrário. Não há alto salário ou garantia de estabilidade envolvidos na prova, mas o que está em jogo para os candidatos é algo de valor inestimável, a HONRA! E essa dor, só quem já sofreu sabe como é.

Hoje em dia há a repescagem, um belo alento aos reprovados da 2ª fase. Mesmo assim, foram meses de preparação e expectativas criadas, muita coisa passa pela cabeça nesse momento. É normal. Superar a reprovação e não desanimar para manter o ritmo até o próximo embate pode ser algo muito difícil. Mas esse pode ser um período de grande aprendizado, acredite.

Vou trazer algumas atitudes que podem lhe ajudar nesse processo de recuperação.

1 – Faça uma avaliação “fria” do seu desempenho na prova

É comum que as atenções fiquem voltadas à prova em si neste momento. Críticas ao conteúdo exigido, problema formulado, padrão de respostas com pontuações contraditórias e por aí vai. É o que mais ecoa nas redes sociais e internet a fora. Como já dizia Anton Tchekhov, “Errar é humano: mais humano ainda é atribuir o erro aos outros.”

Mas sobre isso, o seguinte provérbio pode trazer alguma iluminação:

Se seu problema tem solução,então não há com que se preocupar.Se seu problema não tem solução, toda preocupação será em vão.
Provérbio Tibetano

É importante que você consiga não se preocupar com essas questões e focar no que realmente importa neste momento, que é recuperar as rédeas e sua postura frente ao desafio.

Questione-se sem culpa:

O que eu poderia ter feito melhor durante a minha preparação que não fiz?

Qual a parte que mais tive dificuldade? Foi identificação da peça, citação de artigos, adequação com o padrão de respostas, endereçamento, o tempo que prejudicou ou o quê?

Com base nesta autoavaliação, construa um novo roteiro de estudos para estar melhor preparado na próxima tentativa. Isso lhe trará mais segurança e tranquilidade na medida em que você se torna consciente de suas fraquezas e percebe que não há dúvida de que as chances de sucesso, agora, são ainda maiores.

2 – Não tema a prova

“Acertei temas complexos e errei o básico”

Errar conteúdos aprofundados sem saber o básico parece fazer sentido, mas o recíproca também é verdadeira. Há uma tendência natural na superestimação do exame de ordem, na 2ª fase, em especial. É uma tendência natural que o examinando se prepare para o pior, então cai de cabeça em temas difíceis, polêmicos, com doutrina divergente e, muitas vezes, esquece de estudar o básico. Chegando na prova, o candidato é surpreendido. E a reprovação aumenta, consideravelmente, este temor.

Não vi isso acontecer uma nem duas vezes, no mundo das provas isso é comum. Então trabalhe isso em sua mente e não tenha medo, nem dê mais importância do que a prova e a sua reprovação merecem.

3 – Responsabilize-se mas não se culpe

É claro que o candidato é responsável pela sua reprovação, pelas falhas durante o percurso da preparação, negligências, enfim. Mas ter ciência e responsabilidade sobre os seus atos não é, necessariamente, atribuir-se culpa. Culpa só lhe trará lamentação e desperdício de energia, enquanto assumir responsabilidades e reconhecer erros lhe traz expectativa de mudança.

Uma coisa é querer aprender. Outra é querer garantias de que não vai errar.

Geraldo Eustáquio

4 – Pratique como se você fosse viver eternamente!

Não é fácil para NINGUÉM redigir uma peça processual e responder quatro questões discursivas (com mais de um item cada) em cinco horas. E quem disser o contrário estará blasfemando. Mas para aliviar esse estresse você deve estar afiado, habituado com o tempo para resolver as questões e desenvolver a peça, e a melhor forma de conseguir isso é através de muito treinamento.

Há quem deixe para treinar apenas depois de superada a teoria, ou quando está mais próximo da prova, o que NÃO é a atitude mais recomendada. Se você cometeu este erro ou se dedicou pouco ao treinamento em si, seja por medo de errar ou qualquer outra razão, esta é a hora de mudar de atitude e focar pra valer no treinamento.

A Plataforma de Questões Comentadas co Curso Prova da Ordem é tem auxiliado milhares de Bacharéis em Direito realizar o sonho de advogar através do treino pragmático e resoluto.

5 – Não tenha vergonha

Tenha vergonha de não tentar, tenha vergonha de desistir, tenha vergonha de roubar e não conseguir carrega, como dizia minha mãe. Mas não tenha vergonha de ter reprovado no exame de ordem.

Os homens erram, os grandes homens confessam que erraram. Voltaire

E que venha a próxima prova!

Plataforma de Questões Comentadas para 1ª Fase OAB

📲 Plataforma de Questões Comentadas

Conquiste sua Aprovação na 1ª Fase da OAB estudando através de Questões Comentadas! Resolver provas anteriores é a maneira mais eficaz de preparação para a prova objetiva da OAB. Ao utilizar essa técnica de estudo, os examinandos podem conhecer melhor a maneira que a banca examinadora exige o conteúdo, perdendo o medo da prova e adquirindo muito mais confiança para encarar o certame.

Saiba mais sobre esta técnica de estudo →

Receba com exclusividade nossas publicações sobre o Exame de Ordem

Preencha seu nome e e-mail para ficar por dentro de todas as novidades sobre a Prova da OAB.

Informe o seu nome.
Informe o seu e-mail.